Play-Driven Design

A metodologia inteligente para engajamento de personas e produção espontânea de conteúdo.

“Conteúdo é Rei”… mas a qualidade está fraca.

Conteúdo é Rei

Você está gastando cada vez mais tempo e dinheiro em marketing de conteúdo e redes sociais… e talvez não esteja percebendo isso.

Sim, o Inbound Marketing é a melhor maneira de atrair visitantes para o seu website e diminuir seus investimentos em anúncios de links patrocinados, mas, aos poucos, você que não queria depender de investimento de mídia paga, também pode acabar dependendo de investimento em produção de conteúdo.

É hora de virar o jogo. Com Play-Driven Design é possível atrair a atenção do usuário para um website de conteúdo, envolvendo-o e levando-o à criação espontânea de conteúdo.

Riscos do Marketing de Conteúdo Tradicional

Conteúdo produzido por jornalistas terceirizados, sem um envolvimento emocional com o texto


Definição de personas com base em interesse comercial, sem priorizar os desejos do usuário


Compartilhamento de conteúdo nas redes sociais com baixo engajamento


Baixo interesse do usuário em se relacionar com outros usuários


O usuário raramente tem uma experiência “WOW”


Cliente sem envolvimento com a marca

Existe uma maneira inteligente de proporcionar experiências significativas:

Play-Driven Design

“No play existe alguma coisa ‘em jogo’ que transcende as necessidades imediatas da vida e confere um sentido à ação. Todo play significa alguma coisa.”

— Johan Huzinga

Play-Driven Design propicia uma experiência

Os homens têm uma relação estreita com os jogos e são conhecidos por ter suas maneiras específicas de jogar (observadora, competitiva, divertida etc.), o que pode definir diferentes tipos de jogadores.

Enquanto os jogos analógicos são realizados em locais e horários predeterminados, no mundo virtual eles alcançam uma amplitude geográfica e podem ser jogados tanto em formas síncronas como assíncronas, conquistando forte presença na vida cotidiana e sendo, inclusive, praticados entre as chamadas “atividades sérias”.

A assiduidade de jogos em nossa vida diária é impulsionada por gadgets e telas sempre conectadas à Internet, o que contribui para que os sistemas e aplicações adotem elementos de jogo em contextos considerados não jogáveis – a gamificação.

Enquanto os jogos são considerados atividades livres, estes sistemas gamificados podem ser praticados por motivações tanto intrínsecas quanto extrínsecas. Assim, a gamificação pode também ser entendida como uma condição prévia para a aplicação em websites.

O Play-Driven Design possibilita que websites de conteúdo propiciem experiências significativas e o engajamento de suas personas.

Angelo Públio

Autor do Play-Driven Design, Mestre em Design e Inbound Leader

Aprovação pela Área Acadêmica

Durante dois anos de pesquisa científica em Game Design e Game Play, Angelo Públio, relatou uma discussão teórica e realizou uma pesquisa-ação para definir o modelo Play-Driven Design, como exigência parcial para obtenção do título de Mestre em Design.

O modelo foi avaliado e aprovado em 2016 pela banca examinadora composta por três das principais autoridades acadêmicas no Brasil em Design de Jogos: Prof. Dr. Alexandre Santaella Braga, Prof. Dr. Delmar Galisi Domingues e Prof. Dr. Sérgio Nesteriuk.

Notoriedade Internacional

O Play-Driven Design conquistou notoriedade internacional. O artigo científico que derivou da tese de mestrado de Angelo Públio, em que refletia sobre a metodologia Play-Driven Design, foi publicado na edição de maio/2017 do Journal of Business and Management, após avaliação pelo IOSR — organização Internacional de pesquisa científica.

Estamos criando algo incrível no Brasil.