“Conteúdo é Rei”… mas a qualidade está fraca.

 
 
conteudo-e-rei.jpg

Você está gastando cada vez mais tempo e dinheiro em marketing de conteúdo e redes sociais… e talvez não esteja percebendo isso.

Sim, o Inbound Marketing é a melhor maneira de atrair visitantes para o seu website e diminuir seus investimentos em anúncios de links patrocinados, mas, aos poucos, você que não queria depender de investimento de mídia paga, também pode acabar dependendo de investimento em produção de conteúdo.

É hora de virar o jogo. Com Play-Driven Design é possível atrair a atenção do usuário para um website de conteúdo, envolvendo-o e levando-o à criação espontânea de conteúdo.

 

Riscos do Marketing de Conteúdo Tradicional

 
 
  • Conteúdo produzido por jornalistas terceirizados, sem um envolvimento emocional com o texto

  • Definição de personas com base em interesse comercial, sem priorizar os desejos do usuário

  • Compartilhamento de conteúdo nas redes sociais com baixo engajamento

  • Baixo interesse do usuário em se relacionar com outros usuários

  • O usuário raramente tem uma experiência “WOW”

  • Cliente sem envolvimento com a marca

 
 

Existe uma maneira inteligente de proporcionar experiências significativas:

 

Play-Driven Design

 
 

Play-Driven Design propicia uma experiência

Os homens têm uma relação estreita com os jogos e são conhecidos por ter suas maneiras específicas de jogar (observadora, competitiva, divertida etc.), o que pode definir diferentes tipos de jogadores.

Enquanto os jogos analógicos são realizados em locais e horários predeterminados, no mundo virtual eles alcançam uma amplitude geográfica e podem ser jogados tanto em formas síncronas como assíncronas, conquistando forte presença na vida cotidiana e sendo, inclusive, praticados entre as chamadas “atividades sérias”.

A assiduidade de jogos em nossa vida diária é impulsionada por gadgets e telas sempre conectadas à Internet, o que contribui para que os sistemas e aplicações adotem elementos de jogo em contextos considerados não jogáveis – a gamificação.

À medida que os jogos são considerados atividades livres, estes sistemas gamificados podem ser praticados por motivações tanto intrínsecas quanto extrínsecas. Assim, a gamificação pode também ser entendida como uma condição prévia para a aplicação em websites.

O Play-Driven Design possibilita que websites de conteúdo propiciem experiências significativas e o engajamento de suas personas.

 
 

A Fórmula de Engajamento Play-Driven Design é a maneira inteligente de fazer pessoas felizes.

 
 

A forma inteligente de obter alta performance em marketing e vendas é estimular que as pessoas promovam você e a sua empresa! 

Se você propiciar uma experiência positiva nas pessoas, fazendo-as felizes, elas irão participar, interagir, engajar, comentar e compartilhar essa emoção com seus amigos e familiares.

Gatilhos mentais, como reciprocidade, permitem com que as pessoas, de forma inconsciente, procurem contribuir para o sucesso daqueles que lhe fazem bem.

O Play-Driven Design destaca a importância compreender o desejo de cada pessoa a partir da observação. A partir deste "olhar", você poderá iniciar uma conversa que favoreça o engajamento entre você e seu futuro cliente.

Ao envolver as pessoas, sabendo o que irá satisfazê-las e buscando atender a essa necessidade, você terá criado o ambiente favorável para conquistar os novos promotores do seu negócio.

O resultado é: mais vendas, com menos verba de marketing.

A fórmula de engajamento Play-Driven Design é esteróides para o seu Marketing e Vendas!

 
 

Como funciona

Play-Driven Design é um processo cíclico realizado em 3 estágios: identificar, engajar, entregar, sendo a etapa de otimizar central, presente em todos eles.

 
 
 
a-metodologia-play-driven-design.png
 
 

1. Identificar

 
 

Você deve buscar o que motiva as pessoas. Este é o estágio responsável pela identificação do tipo de personalidade de cada pessoa.

A identificação pode se dar pelo método mais confortável para o profissional, aquele em que ele tem mais experiência para este mapeamento. Por exemplo, os tipos de personalidade listados por Carl Jung

Recomendados o modelo de Player Personas, desenvolvidas por Angelo Públio, para essa identificação, mas você pode usar outro que convenha. 

Uma vez que você identifique o perfil de uma pessoa, você pode salvar essa informação em um software de CRM para que a sua identificação aconteça rapidamente no próximo contato.

 
 

2. Engajar

 
 

Neste estágio ocorre o engajamento das personas pelos  canais que você disponibilizou para conversar e promover o play significativo. É importante que a pessoa saiba sobre as suas limitações e as regras que você tem que seguir.

Estude quais são as ações esperadas das pessoas e como você pode dar e receber feedbacks. Lembre-se que você tem um propósito e o seu engajamento com as diversas pessoas compreendem um objetivo comum.

 
No play existe alguma coisa ‘em jogo’ que transcende as necessidades imediatas da vida e confere um sentido à ação. Todo play significa alguma coisa.
— Johan Huzinga
 
 
 

3. Entregar

 
 

Entregar é o estágio em que você procura obter o feedback da pessoa e transmitir a sensação de que ela tem controle da situação.

Existem várias formas de você fazer a verificação da entrega. Por exemplo:

  • você pode perguntar a pessoa se você conseguiu compreender o interesse dela;

  • você pode informá-la que se você tiver alguma novidade sobre o que ela procura, você irá procurar deixá-la informada;

  • você pode pedir para que ela contar para você as suas preferências;

  • no meio digital, você pode pedir para a pessoa preencher alguma formulário sobre as preferências da pessoa;

  • você pode pedir para a pessoa preencher uma avaliação online e indicar se você tem contruído para que ela atinga o objetivo dela.

Ao mesmo tempo que você coleta a opinião da pessoa, também procure realizar a sua identificar, obtendo mais informações sobre ela.

Com a contribuição do usuário é possível verificar o que pode ser melhorado na sua empresa: sistemas, procedimentos, atendimento, etc.

Ao informar às pessoas da importância de sua contribuição para que você se aprimore, você empoderamento essas pessoas estabelece uma proximidade com elas.

 
 

Central: Otimizar

 
 

A otimização está presente em todos os estágios anteriores, de modo a possibilitar no seu dia-a-dia a evocação do estado de felicidade entre as pessoas.

Com base no conceito de game tuning (afinamento de jogo), a análise do comportamento e feedback das pessoas, você tem informações para realizar ajustes necessários para as melhorias contínuas nas atividades que você faz, dentro de uma lógica de coachability (capacidade que temos de realizarmos um coaching em si mesmo). 

Nesta etapa é onde você verificará se a forma que você tem procurando identificar o perfil de cada pessoa tem sido eficiente. Você avaliará constantemente como você tem estimulado o engajamento com elas e compreender, por exemplo, se você está entregando uma experiência significativa.

Trabalhar a otimização em um estágio central contribui para a sua excelência. Ao final, o que se espera é que você cresça melhor fazendo mais pessoas felizes!